Muçulmano no Paquistão danifica Bíblia para “vingar” a queima do Alcorão

Tag  Tags: , , , - Categorias: Igreja Perseguida por Efatah



Paquistão – Um homem muçulmano de 24 anos profanou a Bíblia nos portões da Igreja Católica de Santo Antônio, em Lahore, na sexta-feira, para “vingar” a ação do pastor americano Terry Jones na Flórida no mês passado.

A polícia prendeu o homem, identificado como Akhtar Hussain, um morador do bairro vizinho de Kasur, e registrou uma queixa contra ele sob a Seção 295-A do Código Penal do Paquistão.

A Seção 295-A diz: “Quem, com intenção deliberada e maliciosa, ultrajar os sentimentos” religiosos de qualquer classe de cidadãos do Paquistão, com palavras, seja falada ou escrita, ou por representações visíveis insulta a religião ou crenças religiosas daquela classe, é punido prisão de qualquer descrição, por um período que pode ir até dez anos, ou multa, ou ambos.”

Segundo fontes policiais, Hussain tinha primeiro tentado forçar a entrada na Igreja onde um grande número de cristãos foi assistir a uma missa especial, quando então os guardas nas portas o barraram e pediram para que ele se identificasse.

As fontes disseram ao The Christian Post que os guardas negaram a entrada de Hussain na Igreja, quando lhes disseram seu nome, e a administração da Igreja perguntou-lhe porque queria ir para a igreja. Hussain disse que ele queria queimar a Bíblia na Igreja, assim como Terry Jones e seus companheiros pregadores que realizaram um julgamento do Alcorão em sua igreja. O homem muçulmano, de repente, tirou o livro sagrado cristão que tinha escondido dentro de sua roupa e começou a rasgá-lo.

Os guardas capturaram Hussain e chamaram a polícia, que o prendeu, juntamente com as provas. Altos oficiais da polícia Umer Saeed disseram que o homem estava em estado mental estável e que ele estava “se vingando” dos cristãos por queimarem o Alcorão. Ele disse que foi “muito tenso,” já que ouviu a notícia do sacrilégio e queria fazer algo para se vingar.

Conversando com o The Christian Post sobre o incidente, os líderes cristãos e ativistas da sociedade civil condenaram o incidente, pedindo tolerância, respeito e aceitação das pessoas pertencentes a todas as religiões.

Asif Aqeel, diretor da Iniciativa da Comunidade de Desenvolvimento das ONGs cristãs disse, “os cristãos são orientados a oferecer a outra face. Eles também são orientados a não se vingar, e sim orar por seus inimigos. O ato de queimar o Alcorão realizado por Terry Jones e Wayne Sapp não tem base bíblica e não representa os ensinamentos da fé cristã. Os cristãos do Paquistão estão enfrentando as consequências de seu ato hediondo.”

Ele disse que os muçulmanos devem perceber que o ato de duas pessoas não deve ser considerado um ato coletivo. “Ao mesmo tempo, podemos dizer que nenhuma pessoa civilizada pode imaginar revidar esses chamados pregadores por queimar a Bíblia. Condenamos este ato como incivil e igualmente desprovido de respeito pelos outros,” disse ele.

Napoleão Qayyum, líder da ala das minorias “da decisão do Partido Popular do Paquistão,” expressou sentimentos semelhantes.

“Condenamos firmemente este incidente, mas não vamos prender todos os muçulmanos responsáveis pela profanação do nosso livro sagrado. O cristianismo prega o perdão e o amor. Estamos feridos, mas não vamos responder na mesma moeda,” disse ele, acrescentando que esperava que os efeitos da violência no Afeganistão sobre o incidente da queima da Alcorão não alcançasse o Paquistão.

Dr. Tahira Saleem, presidente do Ministério Paquistão Shekinah, disse que o país foi se tornando cada vez mais uma sociedade intolerante. “Nós não sabemos por que nossos compatriotas apontam os cristãos como responsáveis por cada ação tomada no Ocidente,” disse ela, acrescentando que toda a comunidade cristã tinha manifestado o seu protesto contra o incidente na Flórida,” mas o incidente de sexta-feira mostra o ressentimento dos muçulmanos.”
“Acabei de orar ao Senhor para que esse incidente não levasse a qualquer tipo de violência no Paquistão,” disse ela.

Enquanto isso, vários protestos contra a queima Alcorão foram notificados em todo o Paquistão, após as orações de sexta, mas não houve relatos de violência. Os manifestantes gritavam slogans contra Jones e Sapp e queimaram suas efígies, e também tomaram como alvo o governo por “não protestarem veementemente contra o incidente internacional.”

A situação no vizinho Afeganistão se descontrolou na última sexta-feira, quando milhares de pessoas saíram às ruas em várias cidades clamando por justiça. Sete funcionários estrangeiros das Nações Unidas, em Mazar-i-Sharif foram mortos pelos manifestantes. Pelo menos 30 pessoas foram mortas em várias cidades do Afeganistão até o momento. Enquanto isso, Jones e seu colega pastor, que sustentam que “o Islã não é uma religião de paz,” permanecem sem remorso por sua ação.

Fonte: Christian Post via Portas Abertas






Este artigo foi escrito em quarta-feira, abril 13th, 2011 e armazenado em Igreja Perseguida. Você pode acompanhar as respostas para este post através do RSS 2.0 feed. Você pode comentar, ou deixar trackback de seu site.

Deixe um Comentário


Facebook

Twitter

RSS Feed

Últimos Posts



Colabore conosco fazendo uma doação de qualquer valor. Basta clicar na imagem abaixo.